segunda-feira, 8 de novembro de 2010

”Eu posso ser o sol que nasce a cada dia 
Ou a chuva que cai no telhado. 

Eu posso ser o silêncio da noite 
Ou o choro da criança. 

Eu posso ser a ave que voa no céu 
Ou a folha que cai da árvore. 

Eu posso ser a doença que corrói o corpo 
Ou a cura que acalma a alma. 

Eu posso ser a ferida que dói 
Ou a cicatriz que fica. 

Eu posso ser a luz na escuridão 
Ou a chama da vela que se apaga. 

Eu posso ser o ódio que brota no coração 
Ou amor que tudo reconstrói. 

Eu posso ser a ruína 
Ou a fortaleza. 

Eu posso ser o sonho que vem 
Ou a ilusão que vai. 

Eu posso ser o final de tarde 
Ou o amanhecer. 

Eu posso ser o desespero que teima em estar presente 
Ou a esperança que sempre renasce. 

Eu posso ser o infinito 
Ou o fim de tudo. 

Eu posso ser as trevas que assustam 
Ou o paraíso almejado. 

Eu posso ser a morte que chega lentamente 
Ou a vida que passa rapidamente. 

Eu posso ser o herói admirado 
Ou o bandido que causa repulsa. 

Eu posso ser a fantasia que encanta 
Ou a realidade refletida no espelho. 

Eu posso ser a velocidade do tempo 
Ou a lentidão da esperada transformação. 

Eu posso ser o belo que fascina 
Ou o feio que assusta. 
Eu posso ser todos 

Ou ninguém. 

Porque no final posso ser tudo ou nada,
Mais serei sempre Eu!

Um comentário:

  1. Vc é o sol que me faz alegre mais vc o meu choro que cai no telhado pensando todo dia em nao poder ter vc ao meu lado o resto de minha vida.

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse. Este espaço é todo seu!
Obrigado pela visita e volte mais vezes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...