quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A vida é feita de escolhas - Parte I



Ontem acordei meio magoado, precisava de um ombro pra chorar,um alguém pra me ouvir ,me entender ou que simplesmente se fizesse presente enquanto eu derrubava, gota por gota, minhas lágrimas que dali a instantes poderiam encher um balde.
Eu procurei um apoio mas ninguém quis ouvir, mamãe e papai são muito ocupados e nem sempre tem tempo...
As vezes desejo não ser o filho único.
Estou me sentindo só, a um mês atrás completei meus 15 anos e aceitei minha opção ou melhor... minha  condição sexual.


Mas será que Papai irá entender que não me sinto atraido por garotas? Será que ira aceitar que eu seja feliz ao lado de outro homem? 
A resposta esta estampada na sua cara de ódio e repúdio  quando vê o amor de um casal gay, ele os chamam de escória da raça humana! Oque ele será capaz de fazer quando descobrir que eu, seu único filho faço parte dessa "raça" que ele insiste em depredar?
A certeza da reação me causa um enorme medo, me sufoca, e a vontade de sumir, evaporar, toma conta de mim! Talvez eles não sintam minha falta se eu partir...


Prepare-se querido diário, estou decidido! Amanhã é um grande dia pro final, afinal é o último dia de aula .
Como sera morrer? Tenho a impressão que é um vazio, tudo escuro e um silêncio total e isso não me assusta. Pelo contrário. No começo achava que ia doer mas só preciso decidir se usarei algo pra cortar os pulsos, se furarei a minha jugular, ou será que é melhor me enforcar? Quem sabe um tiro certeiro? Seja lá oque for será a minha porta de saída pra o inferno que se tornou essa minha vida.


Depois desse desabafo desesperador Pedro guardou na última gaveta de sua escrivaninha o seu diário, companheiro confidente em todas as horas de angústia e se dirigiu ao banheiro pois estava atrasado para aula de dança...


Pedro, apesar de viver rodiado de pessoas, se sentia sozinho pois todos que ele mais precisava viraram as costas para ele, só havia um local onde ele se sentia bem, as aulas de dança nas quais ele não perdia uma única vez, talvez ele sentiria falta apenas dessas preciosas horas  na qual passava em frente ao espelho aprendendo ballet, no começo, Arthur pai de Pedro havia sido contra porém Ana interviu e ele acabou cedendo, Pedro as vezes sentia que a mãe tinha consciência de tudo oque se passava com ele e se fosse realmente isso Ana estaria sendo comparsa na morte do filho  mesmo sem saber do que aconteceria.
Pedro estava pronto pra sair quando resolveu levar com ele alguns dos seus pertences de maior valor sentimental e junto a cada um escreveria uma carta na qual seria destinada a cada pessoa que ele precisou mas que não estavam dispostos a ajudar, Pedro não estava a procura de vingança longe disso ele queria apenas deixar claro o quanto não foi fácil pra ele esses últimos meses e quem sabe com isso poderia ajudar mais pessoas que estão na mesma situação  que ele .


No caminho para aula Pedro se encontrou com Fábio  e por um instante pensou em desistir dessa idéia louca ,mas Fabinho agora o tratava com indiferença, assim como os outros e isso talvez era oque mas magoava Pedro.
As horas haviam voado talvez pelo simples fato que Pedro resolveu viver cada segundo intensamente afinal era a última vez que entraria ali pra dançar.


A vida é feita de escolhas e Pedro já havia feito a sua e nada o faria mudar de idéia, entre tantas escolhas ele preferiu cometer suicídio.
Texto escrito por mim com uma grande ajuda da Juliana
visitem: http://humilitate.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse. Este espaço é todo seu!
Obrigado pela visita e volte mais vezes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...