terça-feira, 31 de maio de 2011

Morando com a Inimiga

Ontem eu percebi que moro com minha inimiga,e o pior é que constantemente eu a chamo de MÃE (Ela não é minha inimiga pq eu escolhi e sim, pq com o passar do tempo é nisso que ela vem se tornando).Ela sabe como me atingir e apesar de não me compreender ,ela conhece cada ponto fraco meu e todos os dias não mede esforços para me atacar e esfregar um por um na minha cara, a cada discussão ou até msm nas pequenas conversas ela sabe  apontar minuciosamente os principais, ela me fere até msm sem perceber depois acha que estou fazendo drama ou que crio barreiras quando ela tenta se aproximar, e ai se por um acaso eu rebato umas boas verdades em meio as nossas brigas ela se faz de ofendida e fica magoada.Ela não da ouvidos  quando eu digo que certas coisas me magoam tbm, diz que ta falando a verdade,que ta dizendo pro meu próprio bem,Se eu digo que quero um carinho eu não sinto essa aproximação até msm pq ela não existe, nem que eu peça um carinho ela não dá (por isso eu sou assim tão carente)Se as vezes estou com um problema e recorro a ela disposta a ouvir uma palavra de incentivo ou talvez receber um abraço,ela não faz nada,ou as vezes diz pra eu me virar enfim ela não faz algo que me faça se sentir melhor,as vezes sinto que ela não me ama e sei que ela tbm deve se sentir assim pq eu a trato da msm forma que ela me trata pq eu sei que se eu tento me aproximar ela só consegue imaginar que é puro interesse da minha parte,graças a isso ficamos assim tão afastadas como duas rivais,duas pessoas que não se suportam e,não é assim eu a amo msm que não demonstre e dói ver a forma que ela age comigo e a forma que por tantas vezes eu acabo agindo com ela pra me proteger dos “ataques”.
Ela me cobra de mais e eu odeio isso,essa cobrança exarcebada faz com que por vezes eu me cobre também e com tanta cobrança acabo duvidando da minha capacidade já que ela tbm induz a isso quando joga na minha cara minha falta de emprego ou o fato de que eu vivo as custas dela e etc.
Com um pequeno insulto ela consegue acabar com a alto estima que eu já nem tenho e ontem foi isso que aconteceu.Ela me comprou uma jaqueta e pediu que eu experimentasse e eu o fiz só que já no inicio eu percebi que não me servia ela insistiu que eu continuasse e eu terminei de colocar e como eu ja havia previsto não me servia msm e então instintivamente ela soltou um comentario bem desnessecario do tipo:
-Quem mandou ser gorda,não te compro mais nada.
Sem saber o que dizer eu apenas a respondi que infelismente era genética,que se ela houvesse escolhido um pai magrinho pra mim eu não estaria brigando tanto com a balança,anteriormente meu pai só ouvia a td atento mas depois disso retrucou com um sorriso no rosto:
-Mas o papai nem é gordo.
Eu respondi:
-Claro que não
Depois disso rimos e logo em seguida eu entrei no banheiro olhei pro espelho vi a minha verdade refletida (Aquela que minha mãe não cansa de dizer) Então chorei por não me aceitar e por não ser aceita assim como sou.em meio a lágrimas entrei no chuveiro deixei a agua levar com ela tds os pensamentos ruins então relaxei e resolvi deixar pra lá pois sabia que não havia sido a primeira vez e certamente não sera a ultima infelizmente tenho que me acostumar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse. Este espaço é todo seu!
Obrigado pela visita e volte mais vezes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...