quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A mãe da pequena suicida

Oi filha hoje faz um ano que você se foi, isso me fez se lembrar de como me senti  ao abrir a porta do teu quarto e te encontrar deitada naquela poça de sangue, o teu sangue, você parecia tão triste não me lembrava nem um pouco a menina alegre que eu vi crescer, sabe filha quando encontrei tua carta eu me senti menos mãe, menos mulher, me senti vazia e totalmente sem vida... É me senti sem vida filha porque talvez você nem saiba mas a minha vida é e sempre será você meu bem, agora eu to aqui me perguntado o que sera de mim sem você? Sem a tua presença que me dava tanta força pra continuar? Filha eu estou me sentindo tão culpada, você sempre esteve ao meu alcance e eu jamais percebi tamanha tristeza, quando acabei de ler aquele seu pequeno desabafo eu me senti um monstro, como eu pude esse tempo todo não enxergar o que estava acontecendo bem embaixo do meu nariz? Eu não merecia ser mãe, eu nunca fui uma boa mãe não é mesmo? Ei filha eu sinto sua falta, queria poder te ninar e ser a mãe que eu não fui. Eu tentei seguir minha vida sem você mas, simplesmente não flui é como se faltasse um pedaço de mim, um enorme pedaço que se foi com você... Depois de toda a tragédia precisei recorrer aos bons e velhos remédios controlados, entrei em depressão, perdi a razão de viver, a cada dia que se passa tenho em mim a imensa vontade de seguir teus passos para ver se te encontro, fui forte por um tempo por que sei que você gostaria que fosse assim mas, estou no meu limite agora e realmente decidi partir sei que essa decisão que tomamos é algo que infelizmente não tem volta mas, estou indo pequena, por mim e também por você, me desculpe por tudo e me perdoe por ter sido tão negligente.


-Em meio a lagrimas a mãe da pequena suicida abriu a janela do trigésimo andar e com toda coragem se jogou... Na rua muito desespero, um suicídio não é algo que se vê todo dia, em alguns minutos chegou a policia, durante as investigações encontraram apenas um bilhete no bolso do casaco onde dizia: Me desculpem mas eu não aguentaria viver por muito tempo em um mundo onde não houvesse mais a presença da minha pequena menina, me desculpem por ter sido fraca, por favor entendam meus motivos...  O amor que tenho por ela é maior do que o que tenho a mim mesma, ela me dava forças pra continuar,sem ela eu não seria eu.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo!
Comente, opine, se expresse. Este espaço é todo seu!
Obrigado pela visita e volte mais vezes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...